segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Mulher

Depois de semanas em silêncio, telefonas para dizeres que precisamos de conversar. Espero ouvir finalmente a tua voz murmurar perdão.
Recebes-me com morangos e Moet & Chandon. Apertas-me contra ti, enquanto os teus lábios procuram os meus com a urgência de quem quer recuperar os beijos que ficaram por dar. Sinto as tuas mãos percorrerem o meu corpo e, já sem forças para rasgar a teia em que me envolves, deixo-te levar-me. Em silêncio, arrancas-me a roupa e entras em mim como se o fizesses pela primeira vez. Sem dizeres desculpa-me, morremos afogados num mar de sensações.
Tu, pensas que acabaste de apagar, com uma borracha, todos os erros que julgas ter escrito com lápis de carvão. Eu, finjo que perdi a chave da gaveta da memória onde tranquei as tuas palavras tatuadas com tinta da china.
Torno-me cúmplice do teu silêncio quando visto o meu rosto com um sorriso postiço. Mas não, não te perdoei… Tens de dizer a palavra perdão. Eu sou mulher!

5 comentários:

Renascido disse...

E é necessário pedir perdão com palavras? Não são os gestos uma forma de linguagem? Os homens sentem de maneira diferente, mas não deixam de sentir forte. Misturam com mais facilidade sexo e amor, mas não é por isso que amam menos.

acutilante - frank verlag disse...

Porquê "tanta exigência", quando um beijo pode dizer mais?!
Por ser mulher!?
Mas gostei!

A Palavra Mágica disse...

É isso aí Cristina!

A mulher nunca deve abrir mão do que acredita. Amar não rima com usar.
Tem uma música do Elton John que diz "Sorry seems to be the hardest word", mas os homens têm que aprender a dizê-la.

Beijos!

Alcides

CrisTina disse...

Renascido e Frank, nas relações é importante falar nos assuntos e fazer com que as conversas difíceis também aconteçam. Habitualmente as mulheres têm menos receio de "discutir" e aprofundar os problemas. Talvez por isso tenham mais dificuldades em perdoar quando nem tudo se mostra esclarecido.
Benvindo ao Alcides!
Obrigada a todos pela visita.

Walter disse...

SOBERBO...simplesmente fantástico!
walter